Cabelo vermelho: minha saga

14.8.15

Na semana passada eu comecei minha mudança de visual. Saí do ruivo cereja e fui para o cinza. Na página do Facebook eu havia prometido que contaria como foi essa transição, mas senti a necessidade de contar primeiro como foi minha saga com o meu ruivo.

O post ficou meio longo, mas para quem está querendo ficar ruiva, acho que pode tirar algum proveito da minha experiência (e meus erros). Então senta que lá vem história! hahaha.
Você pode clicar nas imagens para ampliá-las!

Para começo de conversa, lhes apresento o meu cabelo natural:
Meu cabelo natural, quase um 6.1 (loiro escuro acinzentado).
Em agosto de 2013 eu resolvi que ficaria ruiva. Já era um desejo antigo, mas a coragem não tinha aparecido ainda.
Fiz algumas pesquisas sobre como pintar o cabelo em casa, marcas de coloração vermelha, mas a ansiedade era grande demais e acabei comprando a primeira tinta vermelha que vi na farmácia, que foi a Natucor 6.66 Cereja. 
Trata-se de uma coloração sem amônia, sem chumbo, feita de pigmentos naturais e que não tem necessidade de misturar com água oxigenada (mistura-se com água).
Logo quando eu preparei a tintura já achei o cheiro estranho. Para algo natural, o cheiro é muito forte. Mas fui na fé e taquei no cabelo. Depois do tempo de pausa recomendado, lavei os cabelos e sequei. Resultado: cabelo extremamente ressecado e nada vermelho. Fiquei com o cabelo praticamente preto e uma bucha total. No mesmo dia lavei bem com xampu e fiz uma hidratação. Fiquei tão chateada que não tenho nenhuma foto do resultado daquele dia.
Natucor 6.66 Cereja
No outro dia resolvi ir ao mercado procurar outra tinta e dessa vez comprei a Loreal 7764. Das tintas "de farmácia" que já usei, essa foi minha preferida.
Ela dá um tom de vermelho bem cereja e desbota pra um tom bonito. É uma coloração um pouco mais cara do que a maioria das colorações de supermercado (pode variar de 19 a 25 reais).
O cheiro não é muito forte e não me deu alergia nem coceira (como a Natucor deu ¬.¬').
Na primeira vez que pintei ficou assim:
Resultado da 1ª coloração com Loreal Paris 7764.
Meu cabelo estava virgem antes da Natucor, tentei remover o máximo possível de tinta no mesmo dia que apliquei mas mesmo assim ainda ficou bem escuro. Na época eu não tinha muito conhecimento sobre tintura e apliquei a tinta começando da raiz e isso que deu merda. A raiz ficou bem mais clara que as pontas, e juntando com o fato de que meu cabelo estava mais escuro por causa da bosta que eu fiz de passar Natucor antes... Ficou meio cagado. Mas eu já estava contente de ver que meu cabelinho já estava vermelho.
Se você for tingir de vermelho pela primeira vez em cabelo virgem ou descolorido, comece pelas pontas, pois o couro cabeludo é quente e esse calor potencializa o efeito da água oxigenada, fazendo com que o cabelo nessa região fique com um tom mais aberto em pouco tempo.
Como era a minha primeira coloração, desbotou mega rápido. Na semana seguinte eu pintei novamente o cabelo, só que dessa vez sem passar na raiz.
Esse foi o resultado:
Resultado da 2ª coloração com Loreal Paris 7764 só no comprimento e pontas
Amei esse resultado. A cor ficou bem mais uniforme (não totalmente, bem nas pontinhas ainda estava um pouco mais escuro, mas dias depois eu repiquei o cabelo e a maior parte dessas pontas foram embora, principalmente na frente e topo da cabeça).
Minha pele estava bem clara na época e esse vermelho cereja realçou muito meu tom de pele amarelado.
Loreal 7764 depois de quase 2 meses da segunda coloração
Nessa foto dá pra ver na parte da frente como meu cabelo estava com 1 dedo e mais um tico de raiz crescida, mas a cor estava bem bonita ainda. 
Usei essa tinta um bom tempo, devo ter feito umas 5 colorações com ela. Eu deixava o cabelo crescer bastante e aplicava a tinta em tudo, da seguinte forma: aplicava primeiro do meio para as pontas, deixava agir 20 minutos e aplicava na raiz, deixando agir mais 10 minutos e depois enxaguava e passava os creminhos que vêm na caixinha (como eu amava aqueles creminhos maravilindos).

Daí eu percebi que eu me manchava demóis pra pintar o cabelo em casa e em alguns pontos ficava sem passar tinta. Então eu resolvi deixar desbotar bastante e ir a um salão.
Expliquei pra égua cabelereira o jeitinho de pintar que dava certo pro meu cabelo e levei a caixinha da tintura que eu usava.
A mulher falou pra mim que tinha comprado a Loreal que eu já vinha usando, mas depois fui lá atrás do salão enquanto ela tava preparando a tintura (longe de mim porque ela tava mentindo) e vi que ela ia passar a Koleston 5546 no meu cabelo. Expliquei que essa tintura era bem mais escura do que a que eu estava usando e ela disse que "vermelho é tudo igual". Logo vi a falta de profissionalismo, mas respirei fundo e fui pra frente do salão pra ela passar a bendita tinta logo.
A égua cabelereira, como se não bastasse ter feito pouco caso da numeração da tinta, ainda aplicou tudo errado: passou na raiz primeiro, depois 20 minutos (VINTE MINUTOS NA RAIZ, PUTA MERDA) e depois passou no comprimento e depois agir mais 25 minutos. Não deu outra né, a raiz ficou mais clara que o resto de novo, e as pontas escureceram mais ainda.
Nem preciso dizer que nunca mais pintei o cabelo naquele salão. Fora que a égua cabelereira me sacaneou de outras formas depois.
Koleston 5546
A principal diferença entre a Koleston e a Loreal é que a Koleston é mais escura e desbota para um tom de vermelho mais para o acobreado do que para o cereja.
A tinta da Koleston não é horrível, o problema foi que a cabelereira aplicou de forma inadequada para as necessidades do meu cabelo.
Depois disso, eu já puta da cara com essa mulher, com o cabelo super ressecado de tanta coloração, resolvi deixar o cabelo desbotar bem e ir cuidando dele enquanto isso, com muita hidratação e umectação.

Até que chegou o dia que meu cabelo já estava bem recuperado e precisava retocar a raiz e reacender o vermelho do comprimento. O que eu fiz? Voltei pra tinta da Loreal que eu já gostava e tava acostumada? Não. Eu inventei moda e usei outra tinta.
Alta Moda 6.66
Na época as tintas da Alta Moda Alfaparf estavam bem famosinhas nos blogs e resolvi testar a 6.66 da linha.
Preparei a tinta e apliquei no cabelo com o método de sempre, mas não sei o que deu errado. Meu cabelo ficou quase preto! Olha só:
Resultado da coloração com Alta Moda 6.66
Só bem nas pontinhas que ficou com reflexos avermelhados, mas o resto ficou um pretume só. Fiquei extremamente desapontada com essa tintura. Deixei desbotar muito e, vendo que não ia clarear se eu jogasse a Loreal por cima, fiz uma coisa doida...
Fiz luzes (na touca) para abrir o tom de novo.
Primeira vez das luzes
E fiz luzes mais uma vez...
Segunda vez das luzes
Depois que a maior parte do pretume saiu, usei a tintura da Cor e Ton 7.66 e meu cabelo ficou assim:
Cor e Ton 7.66
Um vermelho bem aberto, porém mais puxado para o cobre do que para o cereja. A tinta da Cor e Ton durou muito pouco no meu cabelo. Talvez pelo fato de ter feito luzes, o cabelo estava bem poroso e isso diminui bastante a durabilidade da tinta. 
Foi aí que decidi que deixaria de usar "tinta de farmácia" e passaria a usar tinta profissional. Pesquisei bastante na Internet sobre e me interessei muito pela Red  Booster e também a Majicontrast, mas na minha cidade não encontrei nenhuma das duas e encomendar pelo Correio seria inviável por causa do valor do frete.
Nas minhas andanças nas lojas encontrei a Amend 6.66 e não hesitei em comprar. Pela primeira vez na vida meu vermelho estava mais vermelho do que nunca!
Fui a ruiva mais feliz do mundo usando só Amend a partir de então.
Amend 6.66 com OX 30

Amend 0.6 com OX 30
Depois que me acostumei com a coloração profissional da Amend, nunca mais quis usar outra. São maravilhosas tanto em cor quanto em fixação e não deixam meu cabelo ressecado de forma alguma.

Pretendo postar até quarta-feira como foi minha transição do ruivo para o cinza. Aguardem!

Bjocas,
Moa.

PODERÁ GOSTAR TAMBÉM

2 respostas

Google+ Followers