Sobre meu primeiro peeling químico

20.4.16

Uma das coisas sobre minha aparência que mais me deixa insegura é a minha pele. Tenho algumas manchas pelo corpo, resultado das minhas brincadeiras de criança (que são bem poucas e não me incomodam tanto) mas acho que a parte mais crítica é mesmo o rosto.

Toda essa história de maquiagem começou lá pelos meus 16/17 anos, quando eu estava a procura de melhorar minha aparência. Eu tive uma fase sinistra de acne (mas nem posso reclamar pois tem gente que tem acne muito pior) e depois de um tempo minha pele acalmou sozinha. Mas ficaram manchinhas e eu buscava algo para disfarçar um pouco, para eu me olhar no espelho e me achar fofa outra vez, foi assim que comecei a usar maquiagem.

Mas a gente vai ficando adulta e além das manchas de espinha (e eventuais espinhas que sempre aparecem naquele período do mês), aparecem também as olheiras, as vermelhidões, as partes amareladas, os poros abertos... É uó. Até o próprio uso constante de maquiagem ajuda a detonar bastante a nossa pele.
Acontece que maquiagem não resolve tudo na nossa vida. Existem momentos que a gente vai ter que ficar sem ela e a gente vai ter que se gostar de cara lavada. Inclusive, se a pele estiver muito maltratada, nem maquiagem vai esconder isso.

Por isso esses tempos estou me colocando a obrigação de cuidar melhor da minha pele e fazer o que eu puder para me livrar das manchas.
Já faz um tempo que tenho feito limpeza de pele de vez em quando, o que já estava sendo ótimo pois melhor coisa do mundo é não ter cravos na cara e, consequentemente, não ter espinhas.
A esteticista que estou frequentando me indicou um peeling químico para amenizar as cicatrizes de catapora, de acne e as manchinhas.
A partir de agora vem o meu relato sobre o peeling. Então se você nunca fez um peeling químico e pretende fazer, talvez esse post te ajude muito. 
Tudo começou no dia 09/04 quando fiz uma limpeza de pele. A Andressa avaliou minha pele e recomendou um peeling. Topei e no dia 14/04, quinta à noite, fiz a primeira sessão do peeling com ácido mandélico. Ela aplicou o produto e eu fui para casa com ele no rosto. Ainda no centro de estética eu senti muita ardência, mas chegando em casa já havia passado. Dormi com esse produto e só lavei o rosto no dia seguinte bem cedo e fui trabalhar com a cara toda assada.
Na sequência das fotos, foi na sexta de manhã:
- Rosto do dia seguinte, quando acordei. Ainda com o produto.
- Manchas no queixo e ao redor da boca, pois a pele nesse área já estava começando a se soltar.
- Rosto lavado, super vermelho. Pele com sensação de febre e repuxando.
Nesse dia o que eu fiz foi apenas passar o protetor solar e retocar a todo momento que sentia a pele extremamente ressecada. Nessa fase não pode passar nada no rosto a não ser um protetor solar bem hidratante e nunca se expor ao sol.
Nessas fotos já era o terceiro dia, na segunda sessão com o ácido, na sexta à noite. A Andressa aplicou mais uma camada de ácido mandélico e eu fui para casa com o produto no rosto, dormi com ele e só lavei no sábado bem cedo. Essas fotos são de sábado de manhã, com o rosto já lavado. Nessa fase a descamação começou pra valer. Continuei passando somente protetor solar e deixei a pele descamar sozinha.
Essas fotos já são de domingo, quando a maior parte da pele morta já havia saído. No domingo meu rosto já não estava tão sensível, então fui dando uma ajudinha para tirar o restante de pele que ainda havia. Também comecei a passar muito hidratante e protetor solar. Nessa fase a pele ficou completamente ressecada e eu sentia necessidade de hidratar muito, várias vezes ao dia.
Na segunda-feira eu apenas mantive a mesma rotina de hidratar, passar protetor solar e não me expor ao sol.
Essas fotos já são de terça-feira, depois da máscara de argila que a Andressa fez. Essa foi a terceira e última sessão do peeling (2 com ácido e 1 com argila). Não sei se em todo lugar o peeling é feito dessa forma (já vi vídeos onde as pessoas fizeram só 1 sessão de ácido) mas o meu tratamento foi dessa maneira.
A máscara de argila na última sessão é uma esfoliação super leve, para retirar algumas casquinhas muito finas que ficam no rosto depois da descamação, principalmente no queixo e ao redor da boca.

Estes foram os produtos que usei durante o processo

Benefícios que percebi após o resultado final do peeling:
- Pele limpa e muito macia
- Cor da pele mais uniforme. Vermelhidões e partes amareladas muito minimizadas, manchas de acne bem mais claras
- Poros muito mais delicados. Eu tinha poros abertos principalmente no nariz e nas bochechas. Os poros agora estão desentupidos e fechadinhos. Lindeza!
- Oleosidade controlada. Eu tinha bastante oleosidade na testa e nariz (o restante sempre foi seco) e agora acabou-se essa oleosidade. Juro!

Gostei muito de ter feito o peeling e pretendo fazer outras vezes, para disfarçar as cicatrizes de acne das bochechas. São bem poucas, mas é um desejo meu me livrar delas. As cicatrizes que tenho no queixo e testa (como dá pra ver na foto) são de catapora. As de acne são só nas bochechas mesmo.

Para complementar e finalizar o post, vou deixar um link de uma matéria sobre os diferentes tipos de ácidos e a indicação de cada um deles. Recomendo fortemente que você leia antes de fazer o seu primeiro peeling químico.

Links:

Se você ainda tem alguma dúvida, deixe nos comentários desse post ou na página do facebook/instagram, pois no próximo post quero fazer um FAQ de perguntas mais frequentes sobre esse assunto. Espero que tenha gostado, abraços e até a próxima!

PODERÁ GOSTAR TAMBÉM

0 respostas

Google+ Followers